terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Regras da Hermenêutica

Regra Fundamental (Primeira Regra)
A Escritura explicada pela Escritura, ou seja: a Bíblia, sua própria intérprete.
Segunda Regra
É necessário tomar as palavras no sentido que indica o conjunto da frase.
Terceira Regra
É necessário tomar a frase no sentido indicado no contexto, a saber, os versículos que precedem e seguem ao texto que se estuda.
Quarta Regra
É preciso tomar em consideração o objetivo ou desígnio do livro ou passagem em que ocorrem as palavras ou expressões obscuras.
Quinta Regra
É necessário consultar as passagens paralelas.
Quinta Regra – Segunda Parte
Paralelos de idéias
Para conseguir a idéia completa e exata do que ensina a Escritura neste ou naquele texto determinado, talvez obscuro ou discutível, consultam-se não só as palavras paralelas, mas os ensinos, as narrativas e fatos contidos em textos ou passagens aclaratórios que se relacionem com o dito texto obscuro ou discutível. Tais textos ou passagens chamam-se paralelos de idéias.
Quinta Regra – Terceira Parte
Paralelos de ensinos gerais
Para a aclaração e correta interpretação de determinadas passagens não são suficientes os paralelos de palavras e idéias; é preciso recorrer ao teor geral, ou seja, aos ensinos gerais das Escrituras.

4 comentários:

  1. Scriptura Scripturae Interpres, isto é a escritura é interprete da escritura. Graças aos reformadores que nos seus conceitos teológicos declararam que a Bíblia é a Palavra de Deus e nenhuma outra palavra pode estar acima Dela. Se usarmos qualquer coisa fora da Bíblia para entende-la estamos afirmando que esta coisa é superior a Palavra.

    ResponderExcluir
  2. Um novo princípio de Hermenêutica norteia a interpretação bíblica, não deixando lacunas para especulações, se for acima de tudo, inspirada pelo Espírito Santo de Deus, que não permite que interpretações errôneas têm lugar, no meio evangélico genuíno a que estamos acostumado a freqüentar, com um único objetivo a edificação do corpo de Cristo, a Igreja genuinamente cristã.

    ResponderExcluir
  3. A minha oração é que independente do conhecimento da hermenêutica (embora concorde com a importancia da referida ciência), que o Espírito Santo de Deus coloque no coração de homens e mulheres que pregam a PALAVRA DE DEUS, um TEMOR tal, a ponto de pensarem duas, cinco , dez vezes antes do púlpito, se vão pregar a VERDADE, sem medo dos possíveis perdas "prejuízos", ainda que todos se levantem e o auditório fique vazio, mas, o pregador com a consciência tranquila, por não ter acrescentado e nem tirado nada da VERDADE.Precisamos da pregação do verdadeiro Evangelho do Reino.

    ResponderExcluir
  4. Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.
    Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.
    2 Pedro 1:20,21 ta ai regra da Hermenêutica


    ResponderExcluir